24 Ago 2020
Viva a Revolução de 1820!
Foi neste dia, há 200 anos, na cidade do Porto, que a Revolução Liberal ergueu as bases do Portugal moderno, do constitucionalismo e do poder do soberano, o povo, derrubando o absolutismo. 
 
Este “liberalismo” não tem nada a ver com a actual acepção político-partidária e económica da palavra, remetendo antes para o Ideário das Luzes na produção de movimentos favoráveis à superação das velhas ordens, alicerçadas no valor inexpugnável do Homem e num sistema de valores para o qual muito contribuiu, por exemplo, o jacobinismo. Não por acaso, o “Sinédrio” de Fernandes Tomás, Ferreira Borges, Silva Carvalho e Ferreira Viana, visando acelerar a revolução, era claramente maçónico.
 
Esta Revolução começou por ser do Porto antes de ser do país, com a sua Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, e só teve a sua vitória final após o prolongado cerco do Porto (em condições inimagináveis de resistência, que foi superior a um ano), mas do qual D. Pedro e os portuenses saíram vitoriosos.
 
Os pergaminhos do Porto como cidade da liberdade, da autonomia e dos combates por aquilo que hoje designaríamos por “cidadania” têm sólidas raízes nesta Revolução, mas alargam-se a outros momentos críticos como a tentativa de instauração da República muito antes da sua implementação em Portugal ou, noutra linha, com a impressionante recepção da cidade ao General Humberto Delgado durante a ditadura salazarista.
 
Estes valores de resistência e luta definem esta ‘Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto’ e, sem eles, não é possível compreender não apenas a história de Portugal, mas muito do que o Porto continua a ser hoje como porta-estandarte de um contrapoder vivo e interventivo tão importante para todo o país.
 
Viva a Revolução de 1820 e, claro, viva o Porto!
19 Ago 2020
Regresso à API

(mais fotos)

O prometido... é devido! Antes de férias, voltei à Associação de Protecção à Infância no centro do Porto com o Miguel Cardoso, Director do Centro Distrital do Porto da Segurança Social, tal como me tinha comprometido numa reunião anterior.

Na companhia do Luís Alves, membro da direcção do PS Porto, visitámos a instituição e avaliámos possibilidades de a apoiar, contribuindo para o importante trabalho que desempenha no apoio a jovens que são retirados do seu núcleo familiar por ordem judicial.

Aproveito para felicitar o Maurício Pinto e toda a direcção, bem como as técnicas, pelo excelente - e difícil - trabalho que têm desenvolvido!

16 Ago 2020
Visita ao Santo Eugénio

Visita ao Grupo Desportivo Cultural e Social de Santo Eugénio, em Ramalde.

Esta é uma grande associação popular do Porto com várias valências que mantêm vivo o espírito da participação comunitária.

E o PS Porto mantém-se no terreno!

13 Ago 2020
Coração da Cidade

O PS Porto continua no terreno e visitei o «Coração da Cidade». Trata-se de uma instituição muito relevante de apoio social e combate à exclusão social do Porto, envolvendo dezenas de voluntários e servindo centenas de pessoas com carências alimentares e outras.

Esta instituição desenvolveu um notável modelo de “supermercado social” em que as pessoas são tratadas com toda a dignidade e recolhem o que necessitam, mediante regras mas sem nenhuma imposição.

Este trabalho é desenvolvido sem qualquer apoio da Segurança Social, o que não faz nenhum sentido.

Iremos procurar ajudar!

06 Ago 2020
Reunião com socialistas da CGTP

A ligação ao mundo sindical e à luta dos trabalhadores é estruturante da família socialista.

São laços que têm de ser permanentemente reforçados, nunca perdendo a nossa relação com o mundo do trabalho. Foi assim com muito gosto que reuni com dirigentes da Corrente Sindical Socialista da CGTP, a Ludovina Sousa (Coordenadora Regional do STAL de Viana do Castelo e membro do Conselho Nacional da CGTP) e Manuel Góis Marques (dirigente nacional da CSS da CGTP).

Abordámos várias preocupações dos trabalhadores que me comprometo a assumir na acção parlamentar.