12 Out 2020
Reunião sobre a problemática da droga

Passei o sábado de manhã com o nosso primeiro vereador na Câmara Municipal do Porto, Manuel Pizarro, e os representantes do movimento «Jardim do Fluvial Sem Droga».

Foi uma reunião muito produtiva. Este é um problema que está a assumir proporções muito preocupantes no Porto, em especial em várias zonas de Lordelo do Ouro e de Ramalde.

Precisamos de trabalhar em conjunto e oferecer soluções que envolvam políticas de saúde, sociais e urbanísticas, entre outras.

O PS Porto vai acompanhar atentamente este tema e iremos apresentar medidas.

02 Out 2020
O que diz uma fotografia?
 
Esta fotografia de Eduardo Portugal mostra uma mancha impressionante de barracas em Lisboa em 1939, numa das entradas para o Bairro das Minhocas. No Porto e noutras cidades não era diferente, com a imensa maioria das classes populares (o nosso proletariado num país sem indústria) a viver numa pobreza pavorosa.
 
É difícil imaginar este Portugal do “antigamente” de que alguns têm nostalgia, mas ele é muito recente e é do tempo dos pais e avós de tantos de nós. Um país sem Estado Social, sem saúde, sem escola, sem mobilidade social, sem transportes, sem infra-estruturas, sem políticas públicas de habitação e de tudo o resto. Sem democracia. Sem futuro.
 
Mas com outras coisas.
 
Com fome. Com trabalho infantil. Com desigualdades chocantes. Com a universidade circunscrita à elite. Com uma imensa maioria sob o jugo da miséria endémica, onde tudo faltava e onde gerações de portugueses foram condenados a vidas cruéis, determinadas à nascença pela sua classe social. Perceber isto é também renovar a importância da esquerda para dar voz a quem nunca a teve, sem jamais esquecer quem representamos.
 
Nem tudo foi perfeito nestes anos de democracia, eu sei, mas que grande orgulho no caminho que fizemos.
 
O que este povo andou para aqui chegar.
29 Set 2020
Serralves

Tarde de audições à ACT e ao Conselho de Administração de Serralves sobre a situação laboral na instituição.

23 Set 2020
Jornadas Parlamentares do PS

Nas Jornadas Parlamentares do PS apresentei as linhas gerais do nosso projecto para uma maior regulação do teletrabalho, densificando a lei para dar resposta a novas necessidades e equilibrar direitos e deveres.

É uma matéria muito complexa e procuraremos abordar as principais questões com que nos temos debatido nestes tempos tão exigentes, oferecendo novas soluções.

Novidades em breve.

17 Set 2020
Debate sobre envelhecimento e desigualdades

Debate sobre políticas activas de envelhecimento e desigualdades.

O vídeo completo do debate pode ser visto neste link.

16 Set 2020
XIX Congresso Federativo do Porto do Partido Socialista
 
O nosso congresso distrital realizou-se em condições únicas e difíceis, com muitas limitações provocadas pela pandemia, mas decorreu de forma irrepreensível graças ao nosso
Artur Penedos e à Comissão Organizadora do Congresso, bem como aos anfitriões de Matosinhos e a todos os que ajudaram ao sucesso deste evento.
 
Foi um congresso atípico em que tivemos de nos adaptar, incluindo votações electrónicas e transmissão em directo pelas nossas plataformas para os muitos que infelizmente não puderam estar fisicamente presentes. Mesmo assim, mostrámos que a democracia não está suspensa e que é possível continuar a participar politicamente.
 
O congresso foi pautado por uma grande elevação e pelo espírito de pluralidade que é uma marca identitária do Partido Socialista, com uma vitória muito expressiva das listas do
Manuel Pizarro.
 
Saímos deste congresso mais fortes e unidos para os grandes desafios que temos pela frente, no distrito do Porto e em todo o país.
15 Set 2020
Newsletter

Os deputados do PS na Comissão de Trabalho e Segurança vão passar a publicar uma newsletter com os principais destaques de acções e intervenções.

A primeira pode ser consultada neste link.

 
24 Ago 2020
Viva a Revolução de 1820!
Foi neste dia, há 200 anos, na cidade do Porto, que a Revolução Liberal ergueu as bases do Portugal moderno, do constitucionalismo e do poder do soberano, o povo, derrubando o absolutismo. 
 
Este “liberalismo” não tem nada a ver com a actual acepção político-partidária e económica da palavra, remetendo antes para o Ideário das Luzes na produção de movimentos favoráveis à superação das velhas ordens, alicerçadas no valor inexpugnável do Homem e num sistema de valores para o qual muito contribuiu, por exemplo, o jacobinismo. Não por acaso, o “Sinédrio” de Fernandes Tomás, Ferreira Borges, Silva Carvalho e Ferreira Viana, visando acelerar a revolução, era claramente maçónico.
 
Esta Revolução começou por ser do Porto antes de ser do país, com a sua Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, e só teve a sua vitória final após o prolongado cerco do Porto (em condições inimagináveis de resistência, que foi superior a um ano), mas do qual D. Pedro e os portuenses saíram vitoriosos.
 
Os pergaminhos do Porto como cidade da liberdade, da autonomia e dos combates por aquilo que hoje designaríamos por “cidadania” têm sólidas raízes nesta Revolução, mas alargam-se a outros momentos críticos como a tentativa de instauração da República muito antes da sua implementação em Portugal ou, noutra linha, com a impressionante recepção da cidade ao General Humberto Delgado durante a ditadura salazarista.
 
Estes valores de resistência e luta definem esta ‘Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto’ e, sem eles, não é possível compreender não apenas a história de Portugal, mas muito do que o Porto continua a ser hoje como porta-estandarte de um contrapoder vivo e interventivo tão importante para todo o país.
 
Viva a Revolução de 1820 e, claro, viva o Porto!
19 Ago 2020
Regresso à API

(mais fotos)

O prometido... é devido! Antes de férias, voltei à Associação de Protecção à Infância no centro do Porto com o Miguel Cardoso, Director do Centro Distrital do Porto da Segurança Social, tal como me tinha comprometido numa reunião anterior.

Na companhia do Luís Alves, membro da direcção do PS Porto, visitámos a instituição e avaliámos possibilidades de a apoiar, contribuindo para o importante trabalho que desempenha no apoio a jovens que são retirados do seu núcleo familiar por ordem judicial.

Aproveito para felicitar o Maurício Pinto e toda a direcção, bem como as técnicas, pelo excelente - e difícil - trabalho que têm desenvolvido!